Há poucas horas foi anunciada a transformação do Morgan Stanley e do Goldman Sachs em bancos convencionais. A medida permitirá uma maior facilidade para levantar créditos, mas implicará uma fiscalização bem maior do que a que estão submetidos hoje.

Leitura essencial para se entender a atual crise que está virando Wall Street de ponta cabeça, Nouriel Roubini já havia previsto o fim dos bancos de investimento independentes em fevereiro [ver nono passo].