Post de sexta-feira (19/09) no blog do Sardenberg:

“Vejam vocês: quem comprou ações na Bovespa na quarta-feira, o pior dia dos mercados mundiais em décadas, está ganhando hoje algo como 15%.

Na quarta-feira (17), esse investidor seria um louco. Hoje, corajoso e visionário.”

Na quarta-feira ele já tinha decretado que o Ibovespa valia mais do que os 45k que marcava. Pode parecer implicância com a imprensa, e talvez até seja. Mas eu acredito que alguém que é um dos principais analistas econômicos do maior conglomerado de comunicações do país não pode fazer este tipo de coisa. Eu, que não devo ter nem meia-dúzia de leitores, tomo o maior cuidado com o que digo por aqui…

O que o sujeito que não entende nada de mercado e lê isso pensa? “Poxa, a poupança dando 6% ao ano e eu podia ter tirado 15 em dois dias. Da próxima vez que cair, vou comprar…”. Acontece que não é tão simples. O exemplo do Márcio Noronha na entrevista que postei outro dia é bem didático. Alguém que investisse 10 reais na bolsa em 1971 teria algo em torno de 50 centavos em 1980.Alguém que comprasse no fechamento da sexta passada, data do post, já teria perdido quase 3%. Mas eu garanto que isso ele não vai comentar.

Sabem o que é pior? Nos 60 mil pontos os comentaristas também diziam que era só uma correção passageira. Hoje, fingem que não era com eles e falam que agora está barato mesmo. Até o próximo fundo…